segunda-feira, 28 de março de 2011

UE dá recado ao mundo sobre transportes

Proposta quer cortar em 60% as
emissões de gases até 2050
A Comissão Europeia propôs nesta segunda-feira (28) que todos os carros movidos a diesel ou a gasolina sejam eliminados das cidades do bloco até 2050.

Para isso, a União Europeia necessitará de uma rede mais “ampla e funcional” de corredores de transporte, incluindo conexões de trem entre os principais aeroportos do bloco, e a modernização e a integração do sistema de controle do tráfego aéreo.

O objetivo do pacote para o transporte europeu é cortar em 60% as emissões de gases responsáveis pelo efeito estufa originárias do setor de transportes e reduzir a dependência do petróleo importado.

Se as nações emergentes, incluindo o Brasil, refletirem sobre este debate em pauta nos países europeus, perceberão que este tema chegará, cedo ou tarde, a todos os países.

Com uma classe média tendo cada vez mais a oportunidade de adquirir todos os tipos de bens, incluindo automóveis, as cidades brasileiras de médio e pequeno porte já começam a sentir os efeitos desta expansão econômica.

PASSADO
Araçatuba, como exemplo, tem mais de 120 mil veículos, número que aumenta a cada dia. É bem verdade que parte significativa desta frota é movida pelo etanol, menos poluente que os combustíveis derivados do petróleo.

Mas também é verdade que a conscientização ambiental dos motoristas está diretamente relacionada aos preços nas bombas de postos de combustíveis. Nos últimos dias, abastecer com etanol não tem sido uma alternativa rentável.

Qual escritor futurista poderia imaginar, ainda na década de 1970, que os araçatubenses iriam, quarenta anos mais tarde, sofrer com os congestionamentos nas principais avenidas da cidade? Pior: sofrer de problemas respiratórios decorrentes da poluição?

FUTURO
Se a Europa demorou mais de um século para descobrir que o transporte coletivo é o caminho para minimizar os efeitos dos combustíveis fósseis, com solução em longo prazo, quantos anos as nações emergentes irão precisar para se convencer do mesmo?

Demorou quase dois séculos para o mundo descobrir que algumas soluções apontadas para problemas da humanidade eram, na verdade, verdadeiras armadilhas futuristas.

Após os países desenvolvidos atingirem o pleno funcionamento de suas economias, é chegada a hora de rever alguns princípios que impulsionaram o progresso.

Dada a complexidade da tarefa, de mudar radicalmente o sistema de transportes da Europa, é compreensível a proposta do bloco europeu de cumprir a meta em quatro décadas. Resta saber se a natureza será paciente o suficiente para aguardar este tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário