terça-feira, 27 de setembro de 2011

Restos de árvores servem para geração de biomassa

Picador de madeira tem potencial para gerar
até 23 metros cúbicos de biomassa por hora
Foto: Valdivo Pereira/Folha da Região
 
Compromisso estabelecido entre a empresa Monte Azul Engenharia Ambiental e a Prefeitura de Araçatuba pretende pôr fim ao descarte inadequado de galhos de árvores e outros tipos de madeiras no município. A parceria entre os dois órgãos, oficializada e iniciada na última quinta-feira, é o de triturar os resíduos e usá-los como biomassa, uma fonte de energia.

Até o momento, as galhadas de árvores eram dispostas clandestinamente no meio ambiente ou ocupavam espaço nos dois ecopontos, dos bairros Corazza e Lago Azul. O mesmo acontecia com as madeiras usadas em construções. As queimadas, que lançam gases tóxicos para a atmosfera, são um dos problemas ambientais causados por este descaso.

Com o início do projeto de transformar galhos em biomassa, o secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Jorge Hector Rozas, garante que estes resíduos serão levados para uma área ao lado do ecoponto do bairro Corazza, onde um picador de madeira foi instalado.

Na semana passada, o Executivo publicou decreto que permite o uso de uma área de 951 metros quadrados pela empresa Monte Azul para a operação da trituração de madeira. O espaço está localizado ao lado do ecoponto no bairro Corazza, na rua Maria Romano Toqueton. A permissão do uso ocorreu sem custos para o município, com duração de um ano, podendo ser prorrogada.

"Queremos convocar a população para que leve este tipo de material nos ecopontos para podermos dar uma destinação final adequada", afirma Rozas. O secretário explica que os materiais podem ser levados por carroceiros, empresas que lidam com este tipo de material e a sociedade civil em um dos ecopontos, pois a Prefeitura irá se encarregar do transbordo dos resíduos para o Corazza. O descarte é gratuito.

POTENCIAL
O picador de madeira foi adquirido pela empresa Monte Azul Engenharia Ambiental. O investimento na máquina e na infraestrutura necessária foi de R$ 200 mil. O equipamento tem potencial para gerar até 23 metros cúbicos de biomassa por hora, montante que seria suficiente para preencher pouco mais de quatro caçambas comuns utilizadas pela construção civil em Araçatuba.

Uma indústria de cerâmica de Panorama (SP) já firmou contrato com a Monte Azul para a compra da biomassa. O combustível ecológico será usado para alimentar os fornos da indústria, sendo uma alternativa para o uso de outras fontes combustíveis. Atualmente, o segmento de cerâmica se utiliza de lenha e outros materiais em seu processo produtivo.

O metro cúbico de biomassa será vendido por R$ 25. Ainda não há dados sobre o volume de resíduos de galhos e madeiras gerados diariamente em Araçatuba. A expectativa é que o setor ambiental do município tenha esta estatística quando o equipamento completar um mês de funcionamento.

"Além de evitar que esses resíduos sejam dispostos em aterros sanitários, diminuindo a vida útil destes espaços, a reciclagem de galhos e madeiras é uma forma desses materiais voltarem como insumos através desta tecnologia limpa e sustentável", afirma Priscila Trevisan, engenheira ambiental da Monte Azul Engenharia Ambiental. Outras informações pelo telefone (18) 3608-8998 e (18) 3607-6550.

Nenhum comentário:

Postar um comentário