quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Lixo orgânico pode servir para compostagem

Uma parcela significativa do lixo que é queimado, enterrado ou que vai parar nas lixeiras, poderia ser transformada em adubo orgânico para fertilizar o solo de plantações, jardins e vasos de plantas. Por meio da técnica de compostagem, o próprio morador pode fazer o seu fertilizante natural, usando para isso os resíduos orgânicos que não servem mais para consumo.

Videorreportagem mostra como fazer compostagem:



A bióloga Jaqueline dos Santos Casoni, fiscal da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Araçatuba, explica que a técnica de compostagem consiste em devolver de maneira correta para a natureza aquilo que foi retirado dela. "Com isso, se diminui a quantidade de lixo nos aterros e acaba colaborando para todas as ações socioambientais", afirma.

Jaqueline diz que o primeiro passo para o morador que pretende fazer a compostagem é promover a separação do material orgânico do inorgânico. Plástico, vidro e alumínio, como exemplos, devem ser encaminhados para a coleta seletiva. No entanto, restos de frutas, legumes e outros alimentos são materiais ricos para abastecer a composteira, artefato onde acontece a transformação do lixo em adubo.

Jaqueline: "A gente sabe que a maioria das
cidades tem problemas com o lixo."

Foto: Paulo Gonçalves/Folha da Região
"A compostagem pode ser feita dentro de apartamentos, em caixas e recipientes pequenos, como pode ser feita em grandes quantidades em aterros, sítios e fazendas. O procedimento é o mesmo, o que muda é a quantidade de material", explica.

CHEIRO
A bióloga ressalta que a popularização desta técnica esbarra no preconceito de que a compostagem provoca um cheiro ruim no ambiente, situação que pode ser facilmente evitada tampando o recipiente onde o trabalho é feito, além de não utilizar carnes e gorduras na mistura.

"As pessoas acham que quando elas colocam os resíduos no cesto de lixo o problema simplesmente sumiu. Isso não é verdade, pois a gente sabe que a maioria das cidades tem problemas com o lixo. A gente precisa se conscientizar que uma hora poderá não haver mais espaço para o lixo", lembra Jaqueline.

Nenhum comentário:

Postar um comentário