quinta-feira, 3 de maio de 2012

Usina já investiu mais de R$ 1,7 mi no controle de mexilhão

Mexilhões-dourados se juntam a
plataforma flutuante no rio Tietê
Foto: Valdivo Pereira/Folha da Região
A Cesp (Companhia Energética de São Paulo) já investiu R$ 1,75 milhão na implantação de sistemas de controle do mexilhão-dourado, ainda na década passada. A companhia é responsável pela operação das hidrelétricas engenheiro Souza Dias (Jupiá) e Ilha Solteira, instaladas no trecho do rio Paraná, onde a espécie exótica também foi localizada.

Anualmente a empresa gasta em torno de R$ 190 mil para controlar as colônias. A proliferação e fixação de moluscos em usinas hidrelétricas podem provocar entupimento de tubulações, decomposição de material orgânico, aumento da corrosão das tubulações e ligas metálicas, diminuição da vida útil dos equipamentos, aumento da mão de obra para limpeza ou troca de equipamentos, entre outros.


MÉTODOS 
Geralmente, para minimizar o problema em um sistema industrial, concilia-se o controle mecânico (remoção dos mexilhões) com a aplicação de substâncias químicas. Esta última alternativa costuma gerar polêmica.

Em 2005, a organização não governamental Econg denunciou que peixes estavam apodrecendo vivos devido à poluição no rio Paraná, supostamente pelo uso de produtos químicos para combater o mexilhão nas hidrelétricas. A Cesp negou que adotava este método de controle.

 "As principais medidas adotadas são a execução de limpezas periódicas, com remoção mecânica e destinação adequada dos resíduos da infestação, e a adição de ativos nos sistemas de resfriamento das unidades geradoras, visando evitar a incrustação das larvas de mexilhões", afirma Cesp. A companhia diz que a atual bioinvasão não preocupa a empresa, "uma vez que está controlada."

 Procurada para falar sobre possível ocorrência do mexilhão-dourado nas hidrelétricas de Nova Avanhandava (Buritama) e Promissão, a empresa AES Tietê não informou se enfrenta o problema nas duas unidades e nem como está combatendo a espécie exótica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário