segunda-feira, 4 de junho de 2012

Parque Ambiental da Fazenda do Estado terá trilhas temáticas


Uma das três trilhas do parque ambiental será
apresentada ao público no próximo sábado
Foto: Valdivo Pereira/Folha da Região
O Parque Ambiental da Fazenda do Estado terá três trilhas para caminhada, sendo duas temáticas e uma de longo percurso. A primeira delas será apresentada ao público no último dia da Semana do Meio Ambiente, com atividades programadas de segunda-feira (dia 4) até o próximo sábado (9). A expectativa é de que 5 mil pessoas participem diretamente das atividades.

A primeira trilha que será apresentada foi batizada de "Cruz de Malta". O trajeto ajuda a resgatar características históricas do espaço de 19 hectares, localizado entre os bairros Santana e Santa Luzia. Maquinários passaram os últimos dias compactando esta trilha, que será plana e de curto percurso para atender crianças e idosos.

O secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Jorge Hector Rozas, explica que Cruz de Malta é uma referência ao espaço usado, no passado, para a criação de rãs na fazenda. Conforme registros, italianos que viviam no local usavam o anfíbio na alimentação.

DIA DA ÁRVORE
A previsão é a de que as outras duas trilhas estejam prontas até o dia 21 de setembro, Dia da Árvore e véspera do início da primavera. Segundo Rozas, nesta data haverá a abertura plena do parque ambiental para a visitação pública. Por enquanto, o espaço ainda precisa receber melhorias e, assim, será apenas apresentado ao público.

Nomeada de "Bica da Rã", a segunda trilha de médio percurso ilustrará, durante a caminhada, o processo usado no passado para captação de água numa antiga bica existente na fazenda, que ainda despeja água durante boa parte do ano. A última trilha perimetral terá um percurso longo, sendo responsável por conectar os dois lados do parque, dividido pelo córrego Bela Vista.

"Monitores irão acompanhar os visitantes para mostrar as características cênicas e biológicas das trilhas", explica Rozas. De acordo com o secretário, a previsão inicial de abrir o parque ao público no dia 5 de junho, quando se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente, precisou ser alterada devido a fatores climáticos e operacionais que dificultaram o cumprimento integral do cronograma de trabalho.

CUSTOS
O projeto do parque ambiental teve custos estimados em R$ 100 mil. Rozas explica que metade destes recursos está disponível por meio do orçamento da própria secretaria. A outra parte está sendo pleiteada junto à iniciativa privada, por meio de doação de objetos para serem utilizados no parque, como bancos ecológicos e lixeiras.

Espaço fica entre os bairros Santana e Santa Luzia
Foto: Valdivo Pereira/Folha da Região
Pela proposta, o parque terá trilhas para caminhada, setores para recreação, área verde, local para piquenique, horta orgânica e dois auditórios, um aberto e o outro fechado. Estão sendo mantidas e inseridas no espaço espécies vegetais de transição entre o Cerrado e a Mata Atlântica.

RIO+20
A Conferência das Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, que acontece entre os dias 13 e 22 de junho, na capital fluminense, será o tema de mesa-redonda que acontece na Semana do Meio Ambiente, na terça-feira (5). Representantes de órgãos ambientais da região irão discutir assuntos que dialogam com a Rio+20.

Na sexta-feira (8), o público poderá acompanhar o Sarau na Tuhia - Todos os povos, todas as tribos, todas as culturas. O espaço é uma das edificações históricas da fazenda que serviu para acomodar produtos agrícolas. Além da apresentação do parque ambiental ao público, o último dia do evento (sábado) terá atividades das áreas de esporte, saúde, meio ambiente, sustentabilidade, prestação de serviços, entre outras.

O evento ambiental será realizado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade e Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial), além de contar com parceiros da iniciativa privada. A participação do público é gratuita e não há necessidade de inscrição prévia.

Um comentário:

  1. A população não sabe que a fazenda faz parte do recinto de exposições, que é aquele bosque de pinheiros que todo ano pega fogo.

    ResponderExcluir