quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Aumenta a poluição do ar por ozônio

Combustão em veículos é uma das causas da poluição
Foto: Paulo Gonçalves/Folha da Região
O ar respirado pelo araçatubense está pior. Medições feitas pela estação de monitoramento da qualidade do ar instalada no município indicam que aumentou de 22% para 43% a quantidade de dias classificados como regular com base nas concentrações do gás ozônio. A comparação tem como referência o período de janeiro a julho dos anos 2011 e 2012.

Em contrapartida, os dias avaliados como bons recuaram de 78% para 56%, segundo a escala de qualidade do ar utilizada pela Cetesb. Araçatuba registrou uma data inadequada para ozônio, no último dia 30 de julho, sendo a primeira vez que isso ocorre desde 2009, quando a estação passou a gerar dados representativos.

A classificação da qualidade do ar adotada pela Cetesb varia em cinco estágios: boa, regular, inadequada, má e péssima. Em 2011, a estação divulgou os níveis de ozônio em 211 dias, de janeiro a julho. Desse total, 165 foram avaliados como bons e 46 como regulares. No mesmo período em 2012, foram 197 medições, com 111 dias bons, 85 regulares e 1 inadequado.

SAÚDE
O pneumologista Antônio Roberto Sandoval Barbosa explica que o ozônio é benéfico na estratosfera, onde forma uma camada protetora contra efeitos danosos da radiação ultravioleta ao ser humano, mas tem efeitos tóxicos nas camadas mais baixas da atmosfera, por afetar diretamente os seres vivos.

"Dependendo os níveis, o contato do ser humano com o ozônio causa irritação nos olhos, garganta e nariz, além de aumentar a incidência de asma. Nos casos mais graves, gera perda da função pulmonar", explica Barbosa. O médico esclarece que os grupos mais comprometidos são os das pessoas com doenças crônicas no aparelho respiratório.

Barbosa diz que a prevenção aos males gerados pelo ozônio é bastante difícil de ser feita individualmente. "É um gás invisível e inodoro, atingindo as partes mais internas do pulmão. O ideal é que a pessoa não faça atividade física durante o período de maior incidência de luz solar", diz. A recomendação principal dada por ele é que, ao aparecerem os primeiros sintomas de problemas respiratórios, o paciente procure um especialista da área médica.

O ozônio é um poluente secundário que se forma a partir de reações entre óxidos de nitrogênio e compostos orgânicos voláteis, na presença de luz solar. Como sua formação está relacionada a outros compostos e depende muito das condições meteorológicas, seu controle é mais difícil.

CAUSAS
De acordo com a Divisão de Qualidade do Ar da Cetesb, os óxidos de nitrogênio são emitidos principalmente pelos processos de combustão, tendo como seus agentes indústrias, veículos e queima da palha da cana-de-açúcar. O uso do fogo em canaviais foi o processo utilizado para colher 79.873 hectares em Araçatuba, no acumulado entre os anos de 2006 a 2011.

Os dados sobre a queima da cana foram divulgados pelo Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), que apontou que o índice de mecanização da colheita chegou a 71% no ano passado em Araçatuba. O fim das queimadas nos canaviais está marcado para ocorrer em 2014 nas áreas mecanizáveis e, em 2017, nas áreas não mecanizáveis, segundo protocolo agroambiental firmado entre o governo paulista e os usineiros.

Outro aspecto que merece atenção no município é o crescimento da frota. Dados do Denatran mostram que Araçatuba fechou o primeiro semestre deste ano com 136.494 veículos, crescimento de 7% em relação ao primeiro semestre de 2011, quando a frota tinha 127.750 unidades.

Nenhum comentário:

Postar um comentário