segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Cientistas usam 3D para 'dar vida' a fóssil da região


Veja imagens em 3D do Baurusuchus salgadoensis



Há 90 milhões de anos, um réptil pré-histórico caminhava pelo terreno onde hoje está o município de General Salgado, na região de Araçatuba. Nos últimos anos, cientistas brasileiros estão usando tecnologia em 3D (três dimensões) para "dar vida" ao ancestral dos atuais crocodilos e jacarés.

Pesquisadores da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) estão se dedicando à difícil tarefa de reproduzir como se locomovia o extinto Baurusuchus salgadoensis, uma espécie de crocodilomorfo. Muitas descrições já puderam ser feitas, como a de que o animal era um excelente predador, ágil e rápido nas caçadas.

Modelos foram animados em computador
Foto: Divulgação
O grupo da universidade carioca utilizou essas informações e as exportaram para 3D. Os modelos foram animados em computador e o Baurusuchus salgadoensis pode "andar" virtualmente.

Os fósseis de General Salgado foram tomografados pela equipe dos pesquisadores Ismar de Souza Carvalho, Felipe Mesquita de Vasconcellos, Thiago da Silva Marinho e Karol Duarte, todos da UFRJ.

"As técnicas 3D permitem a recriação virtual dos fósseis com grande fidelidade e reduzem a necessidade de manuseio do fóssil original, o que é aconselhável na conservação dos exemplares, e indispensável em casos de espécimes raros e frágeis", explica Marinho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário