sexta-feira, 3 de maio de 2013

Pesquisa alerta para risco de extinção de garoupas

Pesca intensiva tem reduzido o número de garoupas
Foto: Enric Sala/SCRFA
Pelo menos 12% das espécies de garoupa - peixe que vive em recifes de corais e rochas - estão ameaçadas de extinção, colocando a vida de milhares de pessoas ao redor do mundo em risco. O alarme foi disparado por um relatório publicado em abril pela IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza).

O estudo aponta a pesca excessiva e o crescente comércio internacional de frutos do mar como as grandes ameaças para a sobrevivência de algumas espécies de garoupa e, consequentemente, dos meios de subsistência daqueles que dependem deste peixe para alimentação e renda.

"As quedas em algumas pescarias de garoupa são alarmantes", diz Yvonne Sadovy, co-presidente da IUCN para o grupo que desenvolveu o estudo. "O comércio internacional de garoupa em rápido crescimento reduz ainda mais as suas populações."

PESCADO
Mais de 300 mil toneladas de garoupas foram apanhadas no mundo em 2009, principalmente na Ásia, onde são particularmente procuradas pelos restaurantes de luxo. A espécie também é importante em países em desenvolvimento como Indonésia e Filipinas, onde a pressão para exportar peixes de recife está crescendo, de acordo com o estudo.

Garoupas estão entre as espécies que são mais vulneráveis à pesca por causa de sua longevidade e maturação sexual tardia. Apesar de sua importância econômica, poucas pescarias de garoupa são regularmente monitoradas ou administradas, e muitas estão em declínio. No Caribe e nos Estados Unidos, a Nassau Garoupa, uma das espécies deste peixe, tem sido exterminada.

"A sobrepesca é como a má administração de uma conta bancária", diz Matthew Craig, co-presidente da IUCN e um dos autores do relatório. "É fácil ver como rapidamente podemos perder todo o dinheiro, ou, neste caso, todos os peixes."

Nenhum comentário:

Postar um comentário