quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Concessionária de energia corta 30 árvores no bairro Lago Azul

Árvores foram transformadas em montes de madeira
Fotos: Alexandre Souza/Folha da Região
A CPFL Paulista cortou, sem autorização da Prefeitura, cerca de 30 árvores na rua Odair Malagoli, no bairro Lago Azul, em Araçatuba. A devastação aconteceu na manhã de ontem (dia 13), mas não vai render autuação à empresa porque foi feita em faixa de servidão. A supressão dos exemplares, plantados em área por onde passa rede de transmissão de energia elétrica, causou revolta nos moradores que cuidam voluntariamente do espaço.

Conforme a CPFL, a empresa possui autorização para a manutenção da rede elétrica, na faixa de servidão, emitida pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente. Em nota enviada à Folha da Região, a concessionária classificou o serviço como poda, embora a maior parte das árvores plantadas no local tenha sido suprimida no tronco, próximo à raiz.

“A CPFL Paulista informa que as podas realizadas na área sob as linhas de transmissão da empresa visam à segurança da rede elétrica, por meio do cumprimento da norma técnica NBR 5422 - Projeto de linhas aéreas de transmissão de energia elétrica, da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), que define os parâmetros mínimos para fixação dessa faixa de segurança”, informa a empresa.

As explicações não convenceram a dona de casa Tatiane Patrícia Bordim Pavão, de 28 anos, que viu o momento em que os funcionários da empresa realizaram o corte com o auxílio de serra elétrica. “Eu e minha mãe pedimos pelo amor de Deus para não arrancar, entramos em desespero e tentamos de tudo quanto foi jeito”, lamenta a moradora.

Responsável por plantar boa parte das árvores no espaço verde, o motorista Aparecido Bordim, de 53 anos, diz que um aviso prévio da empresa poderia ter evitado o descontentamento dos moradores com os cortes. Ele explica que os plantios de pata-de-vaca, mangueira, goiabeira e caramboleira, por exemplo, são feitos há três décadas, sem nunca ter havido qualquer tipo de alerta.

A sombra acabou para moradores de rua no Lago Azul
“Depois de 30 anos fizeram isso e nem deram a oportunidade de a gente retirar as árvores menores para plantar em outro lugar. Se passa pela tal faixa de servidão, deveriam colocar uma placa dizendo que é proibido plantar árvores no local”, critica Bordim. Ele diz que os moradores se reuniam embaixo das árvores, especialmente aos finais de semana, para conversar e aproveitar a sombra. “Se a gente está no mundo para preservar, por que vamos destruir?”, questiona.

REGRA
Em Araçatuba, uma lei municipal proíbe que o morador pode ou corte uma árvore sem autorização da Prefeitura, sob pena de receber multa no valor de R$ 230 para cada espécie lesada. De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente, Jorge Hector Rozas, a pasta entende que o serviço no Lago Azul obedeceu ao critério de proteger a rede de energia e, em se tratando de faixa de servidão, a autorização é, de fato, competência do Estado. No entanto, ele pretende dialogar com a CPFL para que, no futuro, situações como essa possam ser diferentes.

“No mínimo eu esperava que a nossa secretaria fosse comunicada. Vou dialogar com a empresa para que seja feito um trabalho de conscientização ambiental para orientar sobre o plantio neste caso, além de pedir uma possível compensação para que esta comunidade, que demonstrou respeito ao verde, não se sinta desestimulada”, afirma Rozas.

Em nota, o gerente de Negócios da CPFL, Kleber de Almeida Araújo, informou que iria agendar uma reunião com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente para apresentar os documentos referentes à intervenção no Lago Azul e elucidar o caso. “A empresa esclarece que realiza somente podas emergenciais para evitar o risco de danos à rede elétrica que possam comprometer a segurança das pessoas e o fornecimento de energia”, destaca.

Sobre a arborização urbana, a CPFL lembra que disponibiliza um guia de arborização para o melhor manejo, planejamento urbano viário, indicações de espécies e plantio adequado. O material pode ser acessado gratuitamente clicando AQUI.

Nenhum comentário:

Postar um comentário