quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Resgate de macaco bugio mobiliza policiais e moradores

À espera de resgate, bugio em copa de árvore na zona urbana
Fotos: Valdivo Pereira/Folha da Região
Um bugio-preto ultrapassou os limites do bosque municipal, no bairro Dona Amélia, em Araçatuba. A aventura do macaco pela zona urbana aconteceu na tarde de terça-feira (dia 20), quando foi preciso a ação de sete policiais e moradores para resgatá-lo. Antes de ser capturado, o primata cruzou telhados, escalou árvores, atravessou ruas movimentadas e chegou a se jogar em um córrego.

A primeira aparição do mamífero relatada por moradores aconteceu na rua do Fico, por volta das 13h45. Populares contam que o macaco escalou vários telhados de imóveis, quando teria levado um choque na fiação residencial. O bugio sossegou apenas quando subiu na copa de uma árvore, no cruzamento da rua Padre Nóbrega com a Doutor Luís de Almeida, no bairro Santana.

Foi quando duas viaturas, uma do Corpo de Bombeiros e outra da Polícia Militar Ambiental, chegou ao local para fazer o resgate, pouco depois das 14h. A equipe usou uma escada para chegar até a copa. O macaco se jogou e chegou a ser pego com uma rede, mas acabou escapando e saiu correndo pelas vias do bairro, indo parar no telhado de residências da rua Oliveira Salazar.

Macaco se joga de árvore durante tentativa de captura
Os policiais escalaram o muro de um terreno, onde o bugio havia se abrigado, mas o bicho saiu em disparada, pulou um muro e acabou correndo para a avenida João Arruda Brasil, onde atravessou a via, entre vários carros, e se jogou no córrego Machado de Melo. Foi quando dois policiais entraram no manancial canalizado e conseguiram capturar o bicho.

Entre as dezenas de moradores que acompanharam o resgate do macaco, estava o servente de pedreiro Johnata Francisco dos Santos, 21 anos. "Eu vinha do serviço e vi a cena, aí parei para filmar a captura do macaco e vou colocar o vídeo no Facebook", explica. A doméstica Rosete Mariano, 37, ficou apreensiva. "Tive dó e medo de acontecer algo ruim, ele estava muito perto da fiação", conta.

COMPETIÇÃO
O sargento Jorge Lopes, da Polícia Ambiental, explica que é relativamente comum a presença de bugios nesta parte da cidade por causa de um bando que vive livre no bosque municipal. Possivelmente, o macaco de ontem foi expulso por um novo líder do grupo, competição comum entre os machos desta espécie.
Primata escala telhado de imóvel e 'dá canseira' na polícia
"Ao se deparar com qualquer animal silvestre em área urbana, o morador deve fazer o contato com a Polícia Ambiental ou com o Corpo de Bombeiros, e jamais tentar fazer a captura ou resgate por conta própria, pois há risco de um acidente. No caso do bugio, apesar de parecer dócil, ele pode ser perigoso", alerta Lopes.

A Polícia Ambiental levou o animal ao bosque municipal, onde deverá permanecer enjaulado por um período para, posteriormente, ser devolvido ao bando em que vivia ou para um novo grupo, onde poderá se readaptar. A corporação se comprometeu em acompanhar o caso. O zoológico municipal esclareceu que não se trata de animal de seu plantel, mas que irá dar o suporte neste processo de readaptação.

Depois de uma hora, equipe consegue pegar o macaco
SERVIÇO
De janeiro a julho deste ano, o 1° Pelotão de Polícia Ambiental de Araçatuba, que atende 26 cidades, registrou o recolhimento de 131 animais em situações semelhantes ao do bugio desta matéria. Caso se deparar com um animal silvestre em área urbana, o morador pode ligar para o 193 ou (18) 3622-1250.

Nenhum comentário:

Postar um comentário