segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Tratamento de esgoto é precário no bairro Engenheiro Taveira

Cor cinza do líquido que cai em córrego denuncia
que esgoto não foi devidamente tratado
Fotos: Valdivo Pereira/Folha da Região
Todo o esgoto doméstico do bairro Engenheiro Taveira, em Araçatuba, é tratado de forma precária antes de ser despejado em um dos mananciais formadores do córrego Água Funda. O problema acontece porque a ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) Taveira é uma unidade simples, que funciona sem qualquer controle operacional. A Samar (Soluções Ambientais de Araçatuba) deve desativar a estrutura em dois anos.

A ETE Taveira atende em torno de 1,7 mil moradores por meio de 501 ligações domésticas, responsáveis pela geração de 215 mil litros de esgoto por dia. De acordo com a Samar, o problema na estação existe há mais de uma década, sendo documentado no Plano Municipal de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário de Araçatuba, elaborado pela Prefeitura em 2011.

A concessionária explica que a ETE opera com o sistema de tratamento simplificado por decanto-digestor, "considerado de baixíssima eficiência, não atendendo às normas estabelecidas para o tratamento de esgoto". Nesse sistema, acontece a separação das partes líquidas e sólidas do esgoto, incluindo a decomposição.

LIMITAÇÕES
Conforme uma pesquisa de mestrado apresentada em 2008 na Escola de Engenharia da USP (Universidade de São Paulo) de São Carlos, os decanto-digestores são empregados para pequenas aglomerações, sendo necessário um pós-tratamento para que o esgoto possa ser lançado no corpo d'água, o que não acontece na ETE Taveira.

É possível constatar que o esgoto que está sendo despejado no córrego não foi adequadamente tratado, tendo como base a cor acinzentada do líquido e o mau cheiro que pode ser sentido a partir da tubulação que despeja o rejeito. Para entender como o tratamento no Taveira está defasado, a ETE que cuida de 70% do esgoto da cidade, operada pela Sanear (Saneamento de Araçatuba), no bairro Cafezópolis, realiza o processo de tratamento biológico, que reduz a carga orgânica do esgoto em mais de 95% antes de despejá-lo no ribeirão Baguaçu.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, cada R$ 1,00 investido em saneamento gera economia de R$ 4,00 na área de saúde. "Por ano, 217 mil trabalhadores precisam se afastar de suas atividades devido a problemas gastrointestinais ligados à falta de saneamento", alerta pesquisa do Instituto Trata Brasil e da Fundação Getúlio Vargas.

ACESSO
Decanto-digestor (foto) é recomendado apenas para
pequenas aglomerações; Taveira tem 1,7 mil moradores
Diferentemente de instalações públicas que costumam ter o acesso restrito, qualquer um pode ter acesso à ETE Taveira. O motivo é que o espaço não tem cerca de proteção e não há qualquer inscrição indicando que se trata de uma estação de tratamento. A estação tem uma série de imperfeições em sua estrutura, como placas de concreto desniveladas e muitas rachaduras.

A situação desagrada moradores, que esperam um tratamento mais eficiente ao bairro. "Nós sofremos muito por aqui durante o período de calor, quando o fedor de esgoto fica insuportável", reclama a dona de casa Silvia Cristina Nogueira dos Santos, 37 anos. A estação está a 500 metros das residências.

DESATIVAÇÃO
A Samar afirma que vai investir em obras para desativar a ETE Taveira. O plano da empresa é transportar o esgoto do bairro para a ETE Baguaçu, operada pela Sanear e localizada no bairro Cafezópolis. As obras consistem na construção de uma estação elevatória de esgoto, linha de recalque e linha por gravidade, com prazo de conclusão em até dois anos (2015). A distância de Taveira até a estação da Sanear é estimada em dez quilômetros. O valor do investimento não foi informado.

"Desde que assumiu os serviços de água e esgoto de Araçatuba, em novembro de 2012, a Samar priorizou as soluções dos problemas de esgoto e desenvolveu estudos detalhados que resultou em projeto, já concluído, para a solução definitiva da ETE Taveira", garante a concessionária.

Até que o fechamento da estação aconteça, a Samar garante que vai providenciar o cercamento da área para que fique isolada, garantindo a segurança da população.

Nenhum comentário:

Postar um comentário