sábado, 8 de março de 2014

Plano de emergência traça medidas para preservar lêmure

Lêmure-vermelho em mata de Madagascar
Fotos: Russel A. Mittermeier
Habitante das fragmentadas florestas tropicais e subtropicais de Madagascar, na África, os lêmures estão enfrentando um grave risco de extinção. O mamífero desempenha importantes funções ecológicas é essencial para a manutenção das áreas verdes originais da ilha. Sua perda pode provocar a extinção de outras espécies.

O chefe de pesquisa da Bristol Zoo Gardens, Christoph Schwitzer, disse que "apesar das profundas ameaças aos lêmures, ainda há esperança". "Experiências demonstram que a colaboração entre as comunidades locais, organizações não governamentais e pesquisadores podem proteger as espécies de primatas em perigo", disse.

Para o especialista, é preciso convidar urgentemente todos os interessados a participar dos esforços para atingir as metas do plano de ação criado por ele e assegurar a existência de lêmures. "A riqueza considerável biológica, cultural e econômica que representam para Madagascar - e o mundo - sem dúvida seria muito mais pobre sem eles."

O plano de ação contém estratégias para 30 locais diferentes e prioritárias para a conservação do lêmure e visa angariar fundos para ajudar os projetos. Os principais objetivos da ação incluem: estabilizar a crise imediata em áreas prioritárias; lançar as bases para ações de longo prazo em todos os habitats; promover e expandir o ecoturismo; expandir a pesquisa de longo prazo em locais críticos.
Lêmure-coroado observa fotógrafo

Os projetos de avaliação na Lista Vermelha da IUCN (União Internacional para a Conservação das Espécies da Natureza) indicam que mais de 90% das espécies de lêmures estão ameaçadas de extinção.

A exploração de madeira de pau-rosa e ébano, mineração e queimadas para fins agrícolas estão causando declínios nas populações de lêmures. Combinado com o aumento das taxas de caça ilegal, que aumentou desde o início da crise política da ilha em 2009, e a perda de fundos para programas ambientais, foi adiada a criação de novas áreas protegidas e reduzida a presença do Governo em muitas regiões.

A crise política em Madagascar em 2009 envolveu uma série de manifestações antigovernamentais no início de 2009, culminando no envolvimento militar e na posse do líder oposicionista Andry Rajoelina para a presidência do país. Pelo menos 130 pessoas foram mortas desde o início dos protestos antigovernamentais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário