quinta-feira, 24 de março de 2016

Conheça o ocapi, primo da girafa, alvo de milícias do Congo

Ocapis têm altura de até 2 metros;
já o macho da girafa chega a 6 metros de altura
Foto: IUCN
Encontrado nas florestas do nordeste da República Democrática do Congo, na África, o ocapi é o único outro membro vivo da família Giraffidae, ao lado da popular girafa. Atualmente, este animal pouco conhecido do grande público está ameaçado de extinção, conforme a lista vermelha da IUCN (União Internacional para a Conservação das Espécies da Natureza).

As causas para o desaparecimento desta espécie lembram os problemas também enfrentados por outros animais, como a perda de habitat, caça ilegal e a destruição de suas florestas para a instalação de indústrias extrativas (mineração e petróleo). No entanto, também chama a atenção o risco decorrente de conflitos armados.

Algumas áreas-chave para a proteção do ocapi são alvos de ataques de uma milícia armada que atua no Congo para atividades ilegais de extrativismo. Em 2012, ocorreu um ataque brutal contra a sede da Reserva de Animais Selvagens Ocapi no país africano, que resultou na morte de sete pessoas, bem como todos os 14 ocapis alojados na instalação.

Para tentar melhorar a situação dos ocapis, a IUCN e parceiros publicaram uma estratégia global para os próximos 10 anos, guiada por uma revisão detalhada do estado da espécie. A chave deste plano está na reserva alvo das milícias (Okapi Wildlife Reserve). Apesar de ter status de patrimônio da humanidade, esta área recebe milhares de garimpeiros ilegais.

Espécie rara é flagrada em seu habitat
Foto: IUCN
"Apesar dos investimentos em infraestrutura e nas patrulhas para recuperar o controle de cerca de metade da reserva, os recentes ataques significam que ainda há muito a ser feito para restaurar completamente a segurança a longo prazo", informou a IUCN.

A estratégia terá como base apelos ao Comitê do Patrimônio Mundial e aos investidores, para manterem compromissos para salvaguardar sítios naturais do patrimônio mundial da ação criminosa por trás de indústrias extrativistas. Um exemplo disso é que, em janeiro de 2016, foi assinada uma declaração conjunta para os governos da Uganda e do Congo interromperem as licenças de perfuração de novos poços de petróleo em áreas onde vivem exemplares de ocapi.

"O ocapi é uma espécie emblemática para o Congo e o resto do mundo. O que está claro é a pressão sem precedentes e as ameaças que enfrentam estes animais raros e surpreendentes. Esta estratégia global fornece um roteiro claro para a ação conjunta para trazê-los de volta da beira da extinção", diz Noëlle Kümpel, membro de um braço da IUCN que atua na proteção desta espécie.

Nenhum comentário:

Postar um comentário